Post Top Ad

Danças do Golfo


A palavra Khaleege ou Khaliji, significa tudo o que é referente ao Golfo, inclusive as pessoas que lá nasceram, que muitas vezes não se consideram árabes, pois têm outras descedências de sangue e tradição, mas se consideram khaliji.

   O Golfo compões de diferentes países como Kuwait, Bahraini, Qatar, Emirados Arabes, Irane Iraq onde você poderá observar uma diversidade cultural intensa com significativas diferenças entre a dança e a música. Ou seja, cada país possui o seu estilo próprio de dançar e em geral sabe-se muito pouco sobre as diferenças e classifica-se tudo como “Danças do Golfo”.

   Muitas das danças denominadas Khaleege são executadas por homens! O que dançamos é a Dança Feminina ou Dança das mulheres cujos termos diferem de um país para o outro, sendo Raks al Nasha'at para a Arábia Saudita ou Kawaliya no Iraqi, por exemplo que é mais rápido e individualizado. A dança tornou-se conhecida pois no Egito, os shows de música e dança incorporaram o estilo para homenagear os turistas sauditas, portanto, muitas vezes é possível encontrar um trecho de soudi ou chobi (ritmos típicos do Golfo) em meio a um repertório musical de Dança do Ventre. Raks al Nasha'at tradicionalmente acontece nas comemorações de véspera de casamento, quando as mulheres se reúnem para pintarem-se com henna e cuidar da noiva. Como acontece em um ambiente feminino as canções podem conter brincadeiras em relação a noite de núpcias, improvisadas com as histórias da própria família. Mas isso não é uma regra, pois difere a cada região e atualmente os shows folclóricos colocaram a dança nos palcos e nos hotéis, as mulheres dançam coreografias e os shows podem ser mistos o que alterou  também a temática das músicas.
As danças do Golfo inquietam todos que a pesquisam. Presente na Arábia Saudita, Kuwait, Bahrain, Qatar e Oman, a Al Nashar'ar possivelmente traz elementos pré-islâmicos em sua estrutura cênica.
Como repassá-las em sala de aula? Acredito que a melhor forma é sempre contextualizar.


Conhecida também por Khaleege, a Al Nashar'ar é um estilo tradicionalmente feminino cujo os movimentos de maior destaque visual são as combinações de pescoço-cabeça-cabelo, ombros e específicos gestos de mãos. A palavra Al Nashar'ar refere-se ao balanço dos cabelos e Khaleege quer dizer do Golfo.
O ritmo de base é o soudi (e compreende uma infinidade de ritmos menores), a vestimenta, o kaftan corresponde a uma túnica de mangas avantajadas, muitas vezes transparente (para ressaltar os trajes de baixo que são em geral vestidos de festa)  aberta nas laterais ou com um tecido extra para facilitar a movimentação dos braços.

Principais movimentos

Basicamente os passos do Khaleege é relativamente simples. Os pés alternam em planta e metatarso dando a impressão sutil de que as bailarinas mancam.

Passo básico dos pés: transferência de peso direita-esquerda-direita planta-metatarso-planta.

Oito de quadril : suave oito lateral com ênfase para trás.

Shimmy de ombro: vibração delicada dos ombros

Pescoço-cabeça: a cabeça desliza sobre o pescoço, o movimento nasce na nuca.

Pescoço-cabeça-cabelo: Jogar os cabelos de um lado ao outro, jogá-los à frente e para trás, desenhar oitos e círculos no espaço.

Braços e mãos: diversas são as posturas, os braços podem apoiar-se um no outro pelo cotovelo para circulação de pulso, ondular e tremular as mãos.Segue abaixo alguns significados dos gestos:
*Tremular as mãos de alto a baixo: representa a chuva, fio de água caindo, pandeiro.
*Pontas dos dedos no queixo Al Assal: representa o mel, dar mel, ser doce como o mel, doçura.
*Palmas no alto: no passado,  a lua crescente, pedido súplica aos céus, aos deuses, atualmente à Allah.
*Bater os pulsos: representa as pulseiras e conferem à significados mágicos do passado.
Dedos na testa: representam a felicidade.

Dançar com o Kaftan: Geralmente utiliza-se a parte da frente da túnica para desenhar oitos e círculos no espaço, o primeiro lembra as ondas do mar o o segundo dá a impressão de uma cavalgada. A manga é utilizada para cobrir a cabeça como uma beduína.

A estrutura: Como faz parte das festas, a dança é improvisada. As mulheres se reúnem e seguem uma líder, geralmente a mais velha é quem dita os movimentos, um resquício das antigas hakins? Pode ser. A configuração do grupo se faz em círculos ou em retas e pode terminar em uma grande roda com solistas no centro, ajoelhadas com uma das mãos no peito e os cabelos agitando-se em grande velocidade.



Fonte: http://zahrali.tumblr.com


Post Top Ad

Visite nosso Instagram