Post Top Ad

Toxoplasmose: Chega de atirar o pau no gato!



A toxoplasmose é uma doença transmitida dos animais aos homens, uma zoonose causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii.

Durante anos foi alimentado o mito de que o gato é o grande vilão da toxoplasmose, mas na realidade não é bem assim. Primeiramente não são todos os gatos que tem predisposição para desenvolver a doença, somente os animais que tem acesso à rua, caçadores de baratas, ratos, pássaros, os que ingerem carnes cruas ou mal passada que esteja contaminada com oocistos do toxoplasma, e que estão com seu sistema imune comprometido.

Estudos afirmam que apenas 1 em 100 felinos seja portador do protozoário, e se o gato estiver contaminado, só elimina o parasito nas fezes durante 15 dias e apenas uma vez em toda a sua vida. Geralmente esta eliminação ocorre 10 dias após ter se infectado.

A contaminação de pessoas a partir das fezes do gato está diretamente ligada com a falta de higiene, pois é necessário que as fezes fiquem no ambiente de 36º por, no mínimo, 48 horas, e que depois sejam ingeridas; caso contrário, o ciclo não se completa.

Segundo a médica veterinária Dra. Miriam Santos as grávidas não precisam ter medo, muito menos abandonar seus gatos: “O simples contato com o um animal infectado, com seu pelo ou até mesmo com suas fezes ‘frescas’ não são suficientes para contrair a doença, basta haver a higiene e os cuidados necessários que tudo ficará bem. Não existe motivo para abandonar o seu gato, apenas busque informação na literatura, em fontes idôneas e converse com o médico veterinário de seu animal, que é o profissional capacitado para esclarecer dúvidas sobre zoonoses e outras doenças que acometem os animais.”

Portanto, que fique bem claro que beijar, abraçar, dormir com gatos, acariciar, levar mordidas ou arranhões do seu bichano não transmite toxoplasmose e a possibilidade de contaminação do tutor do gato pelo próprio gato é mínima.

O mais comum é que a doença seja adquirida via ingestão de carnes mal cozidas, água contaminada, ingestão de verduras e legumes mal lavados e falta de higienização das mãos após o manuseio com terra.

A prevenção da toxoplasmose se dá com boas práticas de higiene, tais como limpar a caixa de areia dos felinos diariamente, não ingerir alimentos crus ou mal cozidos sem prévio congelamento por 48 horas, não ingerir leite in natura e embutidos não fiscalizados, limpar cuidadosamente qualquer material que entre em contato com carnes cruas, e fazer uso de luvas ao realizar jardinagem.

Além disso, evite que seu gato tenha acesso a rua e, é claro, o animal deve ser vacinado, desverminado e examinado regularmente por um médico veterinário para que se evite qualquer doença.

Na dúvida? Faça uma sorologia, sua e do seu felino, para toxoplasmose. E por favor, não abandone seu animal doméstico. Além de ser crime previsto na lei 9.605/98, é também um ato desumano!

Essa matéria foi escrita com a ajuda da Dra Miriam Santos, médica veterinária que atua na área de clínica médica com especialização em acupuntura veterinária. Contatos: (11) 99151-1295 ou viladosbichos.sp@hotmail.com


Fonte: O Taboaense / http://www.anda.jor.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Post Top Ad

Visite nosso Instagram